Portal ‘Boas Novas MG’ destaca expedição emergencial do SAS Brasil a Mariana, em 2015

Em novembro de 2015, uma barragem de rejeitos de mineração se rompeu em Bento Rodrigues, a cerca de 35 km da cidade mineira de Mariana. O resultado foi um rio de lama que correu pela região até o oceano, deixou 18 mortos e 1 desaparecido, além de destruir Bento Rodrigues, aumentar a turbidez das águas do rio Doce, com impactos no abastecimento de água em cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. A tragédia ainda provocou danos a monumentos históricos do período colonial e afetou a fauna e a flora na região e prejuízos à atividade pesqueira e ao turismo nas localidades atingidas.

Naquela época, o SAS Brasil estava se preparando para uma das expedições mais longas de sua história, que ficou conhecida como Chapada do Araripe/ ASAS na Estrada. Com o envolvimento de 26 voluntários, foram mais de 7,3 mil km percorridos. Para ajudar nos esforços em meio à tragédia em Mariana, a expedição foi desviada para a cidade mineira para que pudéssemos levar filtros de água, produtos de higiene e medicamentos para a população local. 

No fim de janeiro, o portal mineiro Boas Novas MG contou essa história. A repórter Lygia Calil conversou com a coordenadora geral do SAS Brasil, a médica Adriana Mallet, que contou como foi a expedição emergencial. Lygia lembra, no texto, que a ONG já atendeu outros municípios mineiros, como Bonito de Minas, Olhos d’Água e Conceição do Mato Dentro, todos em 2014, durante o Rally dos Sertões.

Leia a matéria na íntegra: Projeto une ação social e aventura em expedições

Veja o destaque:

“Na avaliação de Adriana, porém, uma das expedições mais impressionantes foi inesperada, na região Mariana, depois do rompimento da barragem de Bento Rodrigues. A expedição estava pronta para partir de São Paulo, com outro destino, quando na véspera houve a tragédia em 2015.”

A expedição Chapada do Araripe/ ASAS na Estrada viajou entre os dias 4 e 23 de novembro de 2015 para Santiago do Iguape, em Cachoeira (BA), Cumbuco, em Caucaia (CE), Chã de Alegria (PE), Jijoca de Jericoacoara (CE), Mariana (MG), Milagres (CE), Poços de Caldas (MG) e São Paulo (SP). Foram 18 dias na estrada. O número de pessoas impactadas passou de 2,1 mil. Veja as fotos do cenário de destruição que encontramos em Mariana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *