SAS Brasil faz capacitação de primeiros socorros e urgências em cidade sem médico no Jalapão

Por Gabriela Freire Valente, coordenadora de Comunicação SAS Brasil Sertões 2019

Imagine se aventurar por uma reserva ecológica repleta de cachoeiras com águas cristalinas e com um horizonte marcado pelo céu azul e pelas silhuetas de mesas geológicas. Esse é o cenário do Parque Estadual do Jalapão, uma área de 1.589 km² em que está situada parte da cidade de São Félix do Tocantins (TO).

Apesar de o local ser palco de momentos de relaxamento e de felicidade para muitos turistas, quem visita ou vive nesse pedaço de paraíso não está livre do risco de acidentes. Para ajudar a evitar que a lembrança de um feliz passeio pela região se torne algo traumático, o SAS Brasil promoveu, no último sábado (8), uma capacitação para o atendimento de primeiros socorros e de urgências para profissionais de enfermagem.

Equipe de saúde de São Félix do Tocantins durante curso de emergências e urgências

O curso ocorreu em paralelo à triagem da população que será atendida durante o 27º Sertões e foi ministrado pela médica Adriana Mallet, coordenadora do SAS Brasil e do núcleo de educação do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Limeira, cidade no interior paulista.

O município tocantinense, com população de apenas cerca de 1,6 mil pessoas e IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,574, considerado baixo, está sem médico atuante no momento. Apesar disso, nove profissionais de enfermagem participaram da capacitação, oferecida gratuitamente pelo SAS Brasil. O curso se dedicou ao atendimento pré-hospitalar (APH) e abordou temas como a identificação de casos urgentes, apresentação e atualização de equipamentos de primeiros socorros e técnicas de reanimação. Os participantes aplicaram manobras em manequins médicos de alta tecnologia da 3B Scientific, parceira do SAS Brasil na ação.

A enfermeira Claudina de Fátima Lima explicou que a capacitação é importante para o trabalho da equipe de saúde, especialmente em um momento em que o único médico que atende na cidade está afastado. A profissional, no entanto, ressaltou que o município carece de equipamentos como um carrinho de emergência, que conta com medicamentos específicos, tubos e desfibrilador. “Essa é uma região frequentada por turistas que podem se acidentar e precisamos de equipamentos para eventuais ressuscitações, como balas de oxigênio portáteis etc.”, diz Claudina.

A enfermeira Claudina, que trabalha na equipe de Saúde de São Félix do Tocantins

“O paciente sairia daqui preparado para ir para a nossa referência e isso faz muita diferença”, afirma, explicando que com um equipamento adequado, como o carrinho de transporte, seria possível aplicar o protocolo de trauma. “Hoje, se houver uma fratura, nós não temos sequer as talas”, relata. São Félix não tem hospitais e nem aparelho de raio-x. Os casos de maior gravidade são encaminhados para a capital do estado, Palmas, a 253 km de distância, com uma estrada de terra com difícil acesso.

Mesmo com as adversidades que o município enfrenta, Adriana destacou o engajamento da equipe de saúde local durante o treinamento. “São Félix é uma forte candidata para iniciarmos um projeto de telemedicina”, contou. Liberada recentemente no Brasil, a prática da telemedicina com profissionais de saúde nas duas pontas (médicos ou enfermeiros) possibilita que pacientes de lugares afastados de centros urbanos e em locais sem médicos especialistas possam ser atendidos à distância por profissionais de outras localidades. O SAS Brasil aposta na tecnologia para permitir o acompanhamento dos pacientes das cidades atendidas.

Equipe de saúde de Barra do Garças durante treinamento com manequins realistas

A capacitação em primeiros socorros está sendo oferecida pela ONG para equipes de saúde de todas as cidades por onde a expedição de triagem do Sertões 2019 está passando desde o começo do mês. Ao todo, até o momento 33 profissionais, entre médicos, enfermeiros, motoristas e técnicos foram capacitados em São Félix, São Miguel do Araguaia (GO) e Barra do Garças (MT).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *